Todo mundo sabe que o sono é muito importante, que ele ajuda no crescimento, que permite ao nosso cérebro descansar e guardar as memórias do dia, e que as crianças, principalmente, precisam do descanso para se desenvolverem de forma natural e saudável.

Também já foi falado aqui, e por vários médicos e especialistas, que a rotina é importante para o desenvolvimento das crianças, pois ajuda a diminuir momentos de ansiedade e incerteza. O sono é parte integrante da rotina e deve, sempre que possível, ser colocado em prática sempre nos mesmos horários e seguindo os mesmos rituais.

Com o fim do horário de verão neste domingo, as 00:00 horas, a rotina de todo mundo vai ser afetada. Pode não parecer muita coisa essa mudança de uma hora, mas ela afeta a todos, em maior ou menos grau, e as crianças são particularmente suscetíveis a essa mudança.

Assim como a entrada do horário de verão, a saída também afeta o sono, o apetite e o humor de todos. A diferença na luminosidade, a quantidade das horas de sono e o momento em que o sono realmente chega atrapalham o nosso organismo e a produção dos hormônios que fazem com que o sono seja restaurador, e como são necessários alguns dias para que o nosso corpo se acostume com essas mudanças, precisamos estar atentos aos sintomas que veem junto com ela.

Seu filho, e o organismo dele, estão acostumados com uma rotina e horários específicos, e não adianta esperar que ele queira ficar na cama por mais uma hora, ou que ele só sinta fome no horário de sempre (de acordo com o relógio). Mas existem algumas coisas que você pode fazer para ajudar na adaptação do seu filho com o novo horário e a nova rotina.

Se seu filho acorda as 7 horas todos os dias, ele provavelmente vai estar acordado e querendo atenção as 6 horas. Tente fazer com que ele continue na cama por mais alguns minutinhos, aumentando esse tempo aos poucos até que ele se acostume a levantar as 7 horas novamente.

Para evitar que seu filho reclame de fome antes do horário do almoço, procure não adiantar o café da manhã, mesmo que ele tenha acordado e levantado antes do horário normal. Se ele acordar com fome, dê alguma coisa leve para comer e insista no café da manhã no horário de sempre (segundo o relógio).

Mantenha ao máximo a rotina, principalmente os rituais de antes de dormir. Diminua o ritmo das atividades cerca de duas horas antes do horário de dormir e procure deixar seu filho o mais relaxado possível antes de coloca-lo na cama. Ler ou cantar para ele também ajuda a relaxar e a trazer o sono.

O ideal, quando possível, é trazer seu filho aos poucos para a nova rotina, atrasando 5, 10 ou 15 minutos por dia, para que a transição seja feita de forma menos acentuada. Isso permite ao corpo da criança que ele vá se acostumando aos poucos, com a luminosidade e horários. Assim, seu filho vai continuar crescendo e se desenvolvendo sem muitos transtornos e dificuldades.

Vale lembrar que a genética também conta nessa fase, ou seja, que cada criança é uma criança diferente e que nenhuma delas reage exatamente como a outra. Pode acontecer de seu filho se adaptar rapidamente à nova rotina, ou pode demorar algum tempo para que o organismo dele entenda as mudanças de horário. Se você tem mais de um filho, cada um deles pode reagir de uma forma, e ficar comparando os dois não vai ajudar em nada.

Você pode explicar para o seu filho porque existe essa mudança de horário, mas não vale a pena ficar lembrando o tempo todo que rotina dele vai necessariamente ter que mudar. Dizer coisas como “agora você vai ficar com fome mais tarde” aumentam a ansiedade da criança, piorando os sintomas causados pela mudança de horário. Procure fazer essa transição da forma mais tranquila possível, seguindo as rotinas o máximo possível e continuando os rituais de acordar, dormir e tomar banho possível.

Para ajudar você na sua rotina diária, as roupinhas Be Little são práticas, fáceis de vestir e de trocar, além de serem super confortáveis e cheias de estilo.