Educar um filho não é fácil. Principalmente quando ele está crescendo e deixando de ser um bebezinho para se tornar uma criança. A fase entre o primeiro e terceiro ano de vida de uma criança é considerada uma das mais difíceis, a ponto de ganhar o nome de os “terríveis 2 anos”.

Se seu filho está chegando nesta idade, ou já está nessa idade, existem algumas situações complicadas que você provavelmente vai precisar enfrentar, várias e várias vezes. Birras, chiliques, ataques de raiva, tapas, chutes, “nãos” e palavrões são coisas que você provavelmente vai ter que lidar em algum momento dessa fase da vida do seu filho.

Essa é uma fase complicada no desenvolvimento da criança, os sentimentos mais complexos começam a ser explorados, carinho, felicidade, tristeza, frustração e raiva começam a aparecer, e a criança ainda não sabe como reagir a estes novos sentimentos, o que pode causar ataques de raiva, teimosia, choro e birra. A criança está aprendendo a lidar com estes sentimentos, e muitas vezes não sabe qual a resposta apropriada para cada um deles, por isso ela muitas vezes se expressa através do choro, da birra ou mesmo de forma mais violenta, com chutes e tapas.

 A sua reação nestas situações é muito importante, seu filho vai aprendendo e mudando de comportamento de acordo com a sua reação. Se você demonstrar sua raiva e frustração com a atitude de seu filho com gritos ou outra forma agressiva, seu filho vai entender que esta é uma forma aceitável de reagir a estes sentimentos e, provavelmente, vai continuar agindo dessa forma toda vez que se sentir frustrado com alguma coisa. Preste atenção na sua reação, já que é a partir dela que seu filho vai descobrir o que é ou não uma reação aceitável em qualquer situação.

É nessa fase, também, que a criança começa a demonstrar independência, normalmente através da descoberta de uma palavra nova, o NÃO. Dizer “não” para tudo é a forma de a criança expressar sua independência, de fazer escolhas por conta própria, e isso pode se transformar em um pesadelo para os pais, já que muitas vezes a criança vai dizer não mesmo quando gosta ou quer fazer alguma coisa apenas para poder expressar essa independência.

Nessa idade, a criança tem a capacidade de aprender dezenas de palavras novas todos os dias, e nem todas elas são palavras bonitinhas, e conforme ele vai crescendo, esse vocabulário aumenta, podendo incluir palavras que você provavelmente não gostaria de ouvir da boca do seu filho. Seja porque ele ouviu de um amiguinho na escola, dentro de casa com os pais, na rua ou de algum filme, seu filho provavelmente vai te surpreender com um palavrão em algum momento ainda na infância dele. Tirar qualquer reação de um adulto é como ganhar na loteria para uma criança, seja essa reação uma risada, uma bronca ou uma crise de choro.

Em todas essas situações, o mais importante para o desenvolvimento e educação de uma criança saudável, é a forma como você, pai e mãe, respondem a cada situação. Nossa primeira reação é, normalmente, agir como nossos pais agiam em uma situação semelhante em nossa infância. Se sua mãe gritava muito com você, dava broncas quilométricas, deixava de castigo, ou batia em você quando você fazia alguma malcriação, a chance de você reagir desta forma com seu filho é muito grande.

É muito importante em qualquer uma dessas situações que você faça o possível para manter a calma. Tente não demonstrar sua frustração ou raiva de forma agressiva, isso vai apenas mostrar ao seu filho que esta é uma forma aceitável de reagir a estas emoções, o que pode piorar o comportamento da criança. Calma e consistência são os segredos para educar seu filho para ser uma criança educada. Procure, ao máximo, reagir da mesma forma quando uma situação se repete, independentemente do local onde a crise aconteça. Essa consistência na sua reação mostra para a criança que aquele comportamento não é aceitável em nenhum lugar, e essa repetição ajuda a fixar aquele comportamento como ruim na mente da criança.

Algumas situações podem ser evitadas, preste atenção às reações do seu filho, em quais situações ele parece se agitar mais, em que momentos ele parece reagir de forma mais agressiva? É possível evitar estes momentos? De que forma você pode amenizar estas reações? Seu filho vai demonstrar, de uma forma ou de outra, quando está incomodado com alguma coisa. Procure descobrir a causa desse incomodo para entender melhor de que forma você pode ajuda-lo a superar estes momentos.

Muitas crianças precisam de algum tempo para processar mudanças, por isso uma dica interessante é avisar antes sobre uma mudança de atividade, você pode, por exemplo, dizer algo como “depois que você terminar de comer, nós vamos para a casa da vovó.” Assim a criança tem tempo de processar o evento antes de ele acontecer.

Para tentar diminuir as brigas e choros causados quando seu filho diz não para tudo, você pode mudar a forma como pergunta. Em vez de perguntar “você quer tomar leite antes de dormir?” pode dar uma opção de escolha “você prefere tomar leite ou suco antes de dormir?”. Ao dar essa escolha, a criança pode expressar sua independência sem causar um conflito com a insistência na palavra “não”. Preste atenção, também, se seu filho não criou um hábito de dizer não para tudo por estar imitando você. Se você como pai ou mãe diz não para tudo, seu filho vai entender essa como a resposta padrão para tudo. Tente utilizar respostas alternativas e mais explicativas, em vez de dizer apenas não, diga algo como “hoje nós não vamos ao parquinho porque está chovendo”.

Isso de forma alguma quer dizer que você precisa esperar por horas que seu filho faça uma escolha, ou que você nunca pode dizer não para ele, existem certas situações em que dizer não é necessário e essencial, e você sempre pode dar um tempo limite para que ele faça uma escolha, se você perceber que seu filho não consegue ou não quer decidir, pode dizer algo como “vou contar até dez, e se você não tiver decidido, vou escolher por você”.

Pense sempre antes de castigar seu filho. É importante impor limites e estabelecer regras, e mostrar que, quando a criança faz alguma coisa de errado ela terá consequências também é importante, mas o castigo deve ser adequado tanto para a idade da criança quanto para o “crime” cometido. E essa punição deve acontecer assim que a malcriação acontecer, principalmente com crianças até 4 anos, já que se você deixar para punir depois de algum tempo, ela ainda não será capaz de associar o castigo com o motivo dele.

Muitos pais, hoje em dia, tem em casa um cantinho especialmente preparado para deixar a criança de castigo. Pode ser um degrau de escada, uma cadeira num canto ou um lugar no chão. É importante explicar para a criança o que ela fez de errado e dizer a ela quanto tempo ela tem que ficar naquele lugar. Cumprir o tempo também é muito importante, mesmo que a criança ainda não saiba ler as horas. Normalmente se indica algo como 1 minuto por ano de vida, quando se coloca a criança para pensar no que fez de errado, antes de o adulto voltar até ela para conversar sobre o que aconteceu e qual a maneira certa de lidar com aquela situação.

Pense bem antes de estabelecer um castigo, não adianta dizer que seu filho não vai poder ir na casa da avó, se depois você precisa sair e não tem com deixar a criança. A punição deve ser condizente com o que a criança fez de errado. E o tempo de castigo também não pode ser exagerado.

Educar uma criança não é uma tarefa fácil. Para criar adultos responsáveis é preciso educar as crianças. A Be Little sabe como esta tarefa é difícil, e procura facilitar ao máximo os momentos de vestir e trocar seu filho. Para isso, as nossas roupinhas são feitas pensando no conforto e na praticidade. Nossos macacões, bodies e conjuntos são super fáceis de vestir, além de serem super charmosos.

Aproveite nossas promoções de esquenta Black Friday e conheça também nossos Kits de Bolsas Maternidade, um mais lindo que o outro, você com certeza vai amar!